domingo, 11 de janeiro de 2009

DIVÓRCIO E CASAMENTO SOBRE A ÓTICA TEOLÓGICA-JURÍDICA-CALVINISTA: SUA ATUALIDADE E URGÊNCIA

DIVÓRCIO E CASAMENTO SOBRE A ÓTICA TEOLÓGICA-JURÍDICA-CALVINISTA: SUA ATUALIDADE E URGÊNCIA PARA A FUNDAÇÃO DE UM ESTADO JURÍDICO-POLÍTICO INSPIRADO NA TEONOMIA.

DIVÓRCIO E NOVO CASAMENTO UM ESTUDO SOBRE MATEUS 19.9 E A CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER - Por Rev. Alan Rennê Alexandrino Lima

Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério [e o que casar com a repudiada comete adultério].

I – INTRODUÇÃO

Recentemente, participei de uma reunião de um de nossos concílios. Na ocasião estávamos recebendo um ministro oriundo de outro presbitério. Reza a Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil (CI/IPB), no seu artigo 46, que “a admissão de um ministro que venha de outro Presbitério dependerá da conveniência do Concílio que o admitir, podendo, ainda, este último, procurar conhecer suas opiniões teológicas”.1

Perguntei ao pastor que estava sendo interrogado “até onde deveria ir a subscrição confessional por parte de um ministro presbiteriano”. Sua resposta foi extraordinária: “Até onde essa subscrição não fira o que preceitua a Palavra de Deus”. Até aí tudo bem. O problema foi que ele acabou mencionando um exemplo, que é ponto nevrálgico no evangelicalismo brasileiro. Ele disse o seguinte: “A Confissão de Fé de Westminster permite o segundo casamento da parte inocente no adultério, mas a Bíblia afirma que o segundo casamento só é permitido em caso de morte de um dos cônjuges”. Estava desencadeada a celeuma.

Um dos interlocutores se levantou exasperado, questionando se quem era casado pela segunda vez não tinha perdão, se já estava no inferno, entre outras coisas indizíveis (não estou elogiando!). Tal indivíduo está no segundo casamento, o que explica a sua reação. Além das demais balelas, ele fez uso da passagem mateusina supramencionada para defender e endossar a prática. Ele fez questão de ler bem alto:

“Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério [e o que casar com a repudiada comete adultério]”.

Trata-se da velha interpretação que toma a cláusula de exceção (não sendo por causa de relações sexuais ilícitas) como permitindo também o segundo matrimônio por parte da pessoa inocente.

Tal episódio despertou em mim o desejo de estudar mais a fundo a passagem de Mateus 19.9, a fim de obter maiores esclarecimentos sobre este assunto que gera tanta preocupação, tanta angústia no meio dos evangélicos de nosso país. Tenho consciência que o assunto é polêmico e costuma levantar poeira onde quer que seja tratado. Não obstante, os argumentos utilizados pelos defensores do casamento entre pessoas divorciadas são de tal deficiência interpretativa bíblica, que me sinto compungido a tomar parte no debate. CLICA AQUI PRA CONTINUAR A LEITURA(...)

3 comentários:

  1. Maravilhoso,inspirado e verdadeiro!
    SOLI DEO GLÓRIA - A DEUS TODA A GLÓRIA!!!

    ResponderExcluir
  2. Incrível como este artigo se relaciona ao tema da minha monografia. Eu e minha doce ilusão, que ninguém nunca tinha notado esse desvio da CFW. Muito bom o artigo!

    ResponderExcluir
  3. Professor eu gostaria de fazer uma pergunta, e peço que me perdoe a ignorância ao perguntar-te: O que determina a união matrimonial bíblica? Ele está condicionado ao registro Civil? ou A conjunção Carnal, que faz de dois uma só carne? Sendo assim eu poderia afirmar que todas as pessoas que tiveram relações sexuais, estabeleceram diante de Deus um matrimônio, uma vez estabelecido depois se unem-se a outras pessoas e se casam como se as relações sexuais que tiveram anteriormente tivessem um menor peso diante de Deus por não ter um registro civil público de Casamento, isso não seria um adultério? Ou isso é uma má interpretada minha? Realmente é um assunto que preciso aprender, baixei o texto todo, mas gostaria de ter uma compreenssão melhor sobre isto, 1 - O que determina a únião matrimonial bíblica?
    2 - A conjunção carnal, estabelece a união matrimonial, fazendo dos dois uma só carne?
    3 - Quanto a pessoa que teve relações sexuais antes de se casar, estão em adultério, se casando ccom outra pessoa?
    4 - Jesus colocando no mesmo patamar aqueles que olham para uma mulher com desejo impuro, como adúlteros, como isso se dá espiritualmente?

    ResponderExcluir