sábado, 23 de abril de 2011

A ameaça da pornografia para as crianças - Um novo estudo que exige ações por P. John Flynn, L.C.

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://pedofilianauniversidade.blogspot.com/2011/04/ameaca-da-pornografia-para-as-criancas.html

A inconstitucionalidade do projeto de lei da homofobia (PLC nº 122/2006) e o estado totalitário marxista: tréplica a Paulo Roberto Iotti Vecchiatti (Paul Medeiros Krause)

A inconstitucionalidade do projeto de lei da homofobia (PLC nº 122/2006) e o estado totalitário marxista: tréplica a Paulo Roberto Iotti Vecchiatti (Paul Medeiros Krause)

Clique no link para acessar a matéria:
http://www.clubjus.com.br/cbjur.php?artigos&ver=2.10584

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Delegado diz ser mau momento para discussão do desarmamento

O momento é ruim para debater a questão do desarmamento, de acordo com o delegado de polícia Archimedes José Melo Marques, pós-graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), corregedor-geral da Polícia civil por duas gestões e autor de diversos artigos sobre segurança. "Essa é uma discussão que não pode ocorrer sob o clima de comoção criado com o crime monstruoso de Realengo", falou.

Para o delegado, que atua há mais de 23 anos na área, se o referendo fosse refeito agora, provavelmente teria resultado oposto do que teve em 2005. "Seria preciso aguardar um pouco mais para trazer esse tema de novo à discussão", afirmou. "Estão se aproveitando para fazer novamente um referendo em que a população já deu sua opinião, que foi a favor de manter o direito de ter armas", diz.

Archimedes acredita ainda que a campanha poderá ter efeito inverso. "No meu entender ela beneficia os grandes traficantes de armas que abastecem o crime organizado. Eles continuarão tendo acesso a armamento cada vez mais sofisticado, uma vez que nunca dependeram de vias legais para adquiri-lo", disse.

O delegado disse que o problema do crime só será resolvido quando o governo decidir agir mais incisivamente.

"A criminalidade se combate por meio de um conjunto de políticas públicas sérias e efetivas nos planos do desenvolvimento social, além das medidas administrativas no âmbito dos órgãos ligados à segurança pública, que deve contar com a ajuda da comunidade e a força da adesão da própria sociedade. Não se combate a criminalidade com a simples deposição ou apreensão das armas de fogo dos cidadãos de bem", declarou.

Fonte: http://www.diariosp.com.br/_conteudo/2011/04/61599-delegado+diz+ser+mau+momento+para+discussao.html

domingo, 10 de abril de 2011

O jurista RENE GUYON, iluminista e contrário aos princípios cristãos cria fundação para promover a PEDOFILIA.

1.4 RENE GUYON SOCIETY

A organização teve no jurista francês, Renè Guyon, nascido no ano de 1876 a grande inspiração para a sua fundação, devido a elaboração de seu ‘Etude ethique d’sexuelle, contendo 10 volumes4. Possui sede na Califória, Estados Unidos, e revela contar com aproximadamente 10.000 membros. O slogan da comunidade em tela é “Sex before eight, or else it’s too late”.
 
Para continuar a leitura, solicite o formulário:

CURSO GRATUITO DE COMBATE AS TEORIAS QUE DEFENDEM A PEDOFILIA

Solicite o seu formulário gratuito ao Prof. Luis Cavalcante no e-mail: prof.luiscavalcante@bol.com.br

Será emitido gratuitamente um certificado digital pelo ICER - Instituto de Cultura e Educação Reformada.

Fonte: http://intoleranciahomossexual.blogspot.com/

sábado, 9 de abril de 2011

Aula Prática de Ciência Jurídica Pós-Moderna Pró-Homossexualizante Anti-Cristã ensinado na maioria das salas de DIREITO com "futuros" membros na OAB, MPF e Ministério da Justiça: Menina de 13 anos “seduziu” pedófilo, juiz dá veredicto.

Menina de 13 anos “seduziu” pedófilo, juiz inglês dá veredicto

Rebecca Millette

REINO UNIDO, 8 de abril de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um juiz inglês deu veredicto de que um pedófilo de 24 anos foi “seduzido” por uma menina de 13 anos depois que o homem assistiu à adolescente praticar atos íntimos numa webcam.

David Barnes, um homem de vinte quatro anos da cidade de Darlington, Co Durham, foi preso em 2009 quando a polícia começou a investigar comunicações que a menina de 13 anos estava tendo com homens mais velhos na internet. A polícia descobriu mais de 600 fotos e vídeos baixados de pornografia infantil na posse de Barnes e mais tarde o indiciou em 17 acusações de fazer imagens indecentes e forçar uma criança a entrar em atividade sexual.

Apesar das evidências e de que o supervisor de liberdade condicional de Barnes havia aconselhado o juiz acerca do “elevado risco” do pedófilo cometer males sexuais para crianças, o juiz Peter Fox suspendeu a sentença de Barnes, soltando-o.

“Muitas pessoas devem estar perplexas, para dizer no mínimo, com a complacência das normas que deram a sentença”, disse Fox. “Se eu enviasse você para a prisão, seria por uma questão de semanas apenas. Daí, conforme lhe digo, a perplexidade que muitas pessoas teriam com isso”.

“As poucas semanas que você passaria na prisão não fariam nada para impedir você de fazer isso de novo. Minha preocupação é com o futuro — a proteção de outras crianças”, disse o juiz, que argumentou que o programa de criminosos sexuais que Barnes seria obrigado a fazer seria melhor do que uma sentença de prisão.

O juiz Fox disse que aceitou a afirmação do homem de que nas “atividades pervertidas pela internet com a menina de 13 anos”, a menina menor de idade “parece ter seduzido você”.

Acerca da pornografia infantil encontrada no computador de Barnes, o juiz disse que era “o pior tipo de abuso de crianças muito novas para a lascívia pervertida de gente como você”. Ele acrescentou: “Como você poderia sentir atração por esse tipo de material é impossível de acreditar”.

O veredicto de Fox provocou imensa fúria entre críticos que dizem que Barnes deveria ter recebido um castigo muito mais duro.

“Adolescentes de treze anos precisam de proteção. Não é necessário dizer que eles são crianças”, disse Neil Atkinson, porta-voz da Associação Nacional das Vítimas. “Intelectualmente, eticamente e legalmente, não dava para esta menina — ou qualquer um nessa idade — estar no mesmo nível de um homem na faixa dos 20 anos de idade”.

“Com base na lógica, nenhuma menina de 13 anos pode ser acusada de seduzir um homem dessa idade. Achamos incompreensível que um juiz pudesse dizer isso”, Atkinson acrescentou. “É repugnante que alguém na faixa dos 20 anos devesse essencialmente ficar impune por algo que poderia ter levado a um castigo por crime muito mais grave”.

De acordo com as reportagens, o juiz Fox ficou famoso por dar sentenças leves para criminosos sexuais no passado. Em 2001, um homem de 23 anos que atacou três garotas adolescentes teve sua sentença suspensa por Fox, que chamou as garotas de “bobas”. Em 2009, ele suspendeu outra sentença para um homem de 21 anos acusado de ter tido relações sexuais com duas meninas, uma de 13 e outra de 15 anos. Uma mulher de 40 anos acusada de relações sexuais com um menino de 14 anos também escapou sem punição, com Fox dizendo, de acordo com as reportagens, que o menino seduziu a mulher. Um tribunal de recursos mais tarde derrubou a decisão dele e deu uma sentença de um ano para a mulher.

Artigos relacionados:

Pedofilia é “orientação sexual”, especialistas dizem no Parlamento do Canadá

Polícia federal deveria investigar manual prático de pedofilia na Amazon

Vítima de Kinsey desabafa: meu pai era pago para me estuprar

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/13-year-old-seduced-pedophile-rules-uk-judge

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Fonte: http://juliosevero.blogspot.com/2011/04/menina-de-13-anos-seduziu-pedofilo-juiz.html

sexta-feira, 8 de abril de 2011

IMORAL GAÚCHO, Ex-ministro da Justiça, Petista Roxo, Defensor de Terrorista Italiano, Pró-Homossexualidade e seus Desdobramentos e Governador do Rio Grande do Sul afirma que a MACONHA DEVE SER SABOROSA. Os Verdadeiros Gaúchos dizem: FORA IMORAL TARSO GENRO! Cadê OAB? Cadê o MPF? Cadê os Direitos Humanos?

Tarso pode ler na imprensa gaúcha os efeitos nefastos da maconha — aquela, que “dizem ser saborosa”…

Vocês conhecem Taro Genro.

É o governador do Rio Grande do Sul. Do PT. Anteontem, ele deu uma aula inaugural na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e, ao falar sobre a maconha, minimizou seus efeitos negativos e ainda emendou, com a responsabilidade do cargo que ocupa: “Deve ser saboroso”.

Tarso também diz que agora só lê a imprensa gaúcha. A do resto do país, em especial a de São Paulo, ele considera desprezível, desnecessária. Compreendo o maragato… Eu não padeço de tara isolacionista ou separatista. Leio a imprensa gaúcha também.

Hoje o Zero Hora publica um artigo sobre a maconha escrito por Sérgio Paula Ramos. Ele é psiquiatra e psicanalista e membro do conselho consultivo da Associação Brasileira de Estudos sobre o Álcool e outras Drogas. Para Tarso, o homem talvez tenha o defeito de ter nascido em São Paulo. Mas tem a qualidade, governador, de ter escolhido o Rio Grande do Sul para morar: gaúcho por opção! Embora eu não saiba em quem ele votou, minhas fontes no Estado me dizem que é eleitor do PT. Tarso sempre pode aprender alguma coisa sem se deixar contaminar pelos “reacionários”.

Entre outras coisas, o artigo intitulado “Cuidado, companheiro”, informa:

“(…) também está bem demonstrado, em nossa cultura, que, na história natural de um dependente químico, a primeira droga de experimentação é o álcool. A segunda, a maconha, que, no Brasil, é a droga ilícita mais consumida e, infelizmente, Porto Alegre, a campeã no seu consumo por jovens que, ensinam-nos os últimos achados das neurociências, apenas aos 22, 23 anos completam seu amadurecimento cerebral. Antes disso, apresentam importantes dificuldades no processo de tomada de decisões razoáveis, posto que sua região cortical responsável por fazer isso, o córtex pré-frontal, encontra-se imatura.

Devido a esta grande imaturidade do cérebro juvenil, é que se impõe que tanto os pais quanto os educadores tomem conta de seus filhos/alunos adolescentes. De fato, pais que sabem onde seu filho está, com quem e fazendo o que, têm 12 vezes menos filhos envolvidos com drogas do que os que não sabem. Igualmente, um Estado que protege seus adolescentes impedindo-os de consumir bebidas alcoólicas e reduzindo a oferta das drogas ilícitas está cumprindo o seu papel.”

Segue a íntegra. Volto com um breve comentário o fim de tudo.

Já havia sido bem demonstrado que o uso de maconha por jovens está associado à queda no desempenho escolar, à evasão escolar, à formação acadêmica inferior e ao aumento do desemprego medido aos 25 anos. Igualmente, está bem demonstrado o aumento da prevalência dos quadros depressivos em usuários de maconha. Agora, a prestigiosa revista British Medical Journal acaba de publicar um estudo bem controlado de seguimento de 10 anos e conduzido em diferentes centros de pesquisa, entre os quais o King’s College of London e o Max Planck Institute de Munique, com jovens usuários de maconha, concluindo o que outros autores tinham suspeitado: que o uso de maconha duplica a chance de alguém ter um quadro psicótico.

Por outro lado, também está bem demonstrado, em nossa cultura, que, na história natural de um dependente químico, a primeira droga de experimentação é o álcool. A segunda, a maconha, que, no Brasil, é a droga ilícita mais consumida e, infelizmente, Porto Alegre, a campeã no seu consumo por jovens que, ensinam-nos os últimos achados das neurociências, apenas aos 22, 23 anos completam seu amadurecimento cerebral. Antes disso, apresentam importantes dificuldades no processo de tomada de decisões razoáveis, posto que sua região cortical responsável por fazer isso, o córtex pré-frontal, encontra-se imatura.

Devido a esta grande imaturidade do cérebro juvenil, é que se impõe que tanto os pais quanto os educadores tomem conta de seus filhos/alunos adolescentes. De fato, pais que sabem onde seu filho está, com quem e fazendo o que, têm 12 vezes menos filhos envolvidos com drogas do que os que não sabem. Igualmente, um Estado que protege seus adolescentes impedindo-os de consumir bebidas alcoólicas e reduzindo a oferta das drogas ilícitas está cumprindo o seu papel.

Portanto, um dos vértices importantes de um programa de prevenção dos problemas decorrentes do consumo de drogas é diminuir o aporte global destas em nossa sociedade. Mecanismos eficazes de controle estão bem delineados. Entre eles a lei seca no trânsito, a proibição de propaganda de álcool e tabaco, bem como o desestímulo geral de consumo de drogas ilícitas.

Quando os jovens que já experimentaram maconha são perguntados por que o fizeram, a resposta universal é por curiosidade e pressão do grupo. Quando os não experimentadores, a maioria, são inquiridos sobre os motivos da não experimentação, a resposta é porque faz mal para a saúde e porque é proibido. Logo, qualquer grau de liberação de seu consumo haverá de elevá-lo, com consequente aumento de todos os problemas acima mencionados.

Conclusão: dependência química é uma doença evitável, sua prevenção se faz através de programas públicos bem orquestrados em que, segundo a Organização Mundial de Saúde, não há qualquer espaço para a liberação do consumo de maconha.

Como os profissionais de saúde que lidam com a questão encontram-se bem preparados para colaborar na elaboração destes programas, colocamo-nos à disposição. A primeira colaboração deverá ir no sentido de proteger as autoridades de expressarem opiniões que colidam com o que a ciência tem nos demonstrado e que, em boa hora, a Organização Mundial de Saúde acaba de defender.

Encerro

“Dizem que é muito saboroso!”

Por Reinaldo Azevedo
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/tarso-pode-ler-na-imprensa-gaucha-os-efeitos-nefastos-da-maconha-%e2%80%94-aquela-que-%e2%80%9cdizem-ser-saborosa%e2%80%9d/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+ReinaldoAzevedo+%28Reinaldo+Azevedo%29&utm_content=Twitter

Contra o Analfabetismo Constitucional da OAB

Artigos - Movimento Revolucionário

Apesar da descarada defesa homossexual à pedofilia, a OAB, o MPF e outros órgãos do governo não estão atrás de Luiz Mott, Denílson Lopes, Isaías Medeiros e Paulo Ghiraldelli. Estão atrás de Bolsonaro.

O Dep. Jair Bolsonaro está sofrendo todos os tipos de acusação, pois ao participar de um programa de baixaria na televisão, ele deu uma resposta desatenta a uma pergunta de Preta Gil.

Por sua desatenção, a OAB está entrando com uma ação contra ele pelos "crimes" de racismo e homofobia, de acordo com reportagem da revista Época.

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI222265-15223,00-O...

Ao classificar as opiniões pessoais de Bolsonaro como "crime" de homofobia, a OAB mostrou seu analfabetismo legal e constitucional e, portanto, despreparo para agir na base da justiça. Como esperar justiça de uma associação de advogados que não sabe ler a Constituição?

Senhores da OAB, qualquer brasileiro semiconsciente e semialfabetizado sabe que não existe lei de "homofobia" no Brasil.

E se existisse, deveria punir opiniões também? E a liberdade de expressão, onde é que fica?

Provavelmente, nem se deram ao trabalho de consultar a Constituição. Assistiram aos programas populares de TV e daí tiraram suas interpretações.

Em 2007, a Rede Globo me convidou para participar de um "debate" sobre casamento gay no programa do Serginho Groisman. Recusei o convite, plenamente consciente de que é ridículo participar de um programa onde uns dez ativistas gays têm total liberdade de confrontar você, com a total cobertura do apresentador, enquanto que se você cometer um simples deslize, o linchamento é certo.

O que acontece quando uma criatura do movimento homossexual comete um "deslize"?

* O "deslize" de Luiz Mott, o rei do movimento gay no Brasil, foi defender a pedofilia. A OAB e os noticiários de TV nunca se incomodaram. Ele continua livre e solto.

http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/luiz-mott-pedofilia-j.html

* O "deslize" de Denílson Lopes, professor universitário e homossexual assumido, foi defender a pedofilia em seu artigo "Amando Garotos: Pedofilia e a Intolerância Contemporânea". A OAB e os noticiários de TV nunca se incomodaram. Ele continua livre e solto.

http://juliosevero.blogspot.com/2007/07/pedofilia-e-homossexualismo...

* O "deslize" do "filósofo" Paulo Ghiraldelli Jr. foi defender a pedofilia homossexual em seu artigo "Amor e sexo entre pequenos e grandes". A OAB e os noticiários de TV nunca se incomodaram. Ele continua livre e solto.

http://juliosevero.blogspot.com/2007/09/outra-coincidncia-mais-um-d...

* O "deslize" de Isaías Medeiros, blogueiro progressista e homossexual assumido, foi defender a pedofilia em dois artigos denunciados por mim. A OAB e os noticiários de TV nunca se incomodaram. Ele continua livre e solto.

http://juliosevero.blogspot.com/2011/03/de-cristao-revoltado-homoss...

O que Bolsonaro fez que esteja minimamente à altura das "proezas" desses defensores da pedofilia?

O que ele fez foi denunciar publicamente o kit gay, um atentado homossexual contra a inocência das crianças (veja o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=lCsBc0tm6lc ).

O que movimento gay exige, é doutrinar os filhos dos outros no vício homossexual.

Diante dessa afronta e crime contra seus filhos, qualquer pai normal quereria trucidar o criminoso autor do atentado. Qualquer pai normal faria muito mais do que hacker as páginas de internet de grupos homossexuais.

Apesar da descarada defesa homossexual à pedofilia, a OAB, o MPF e outros órgãos do governo não estão atrás de Luiz Mott, Denílson Lopes, Isaías Medeiros e Paulo Ghiraldelli. Estão atrás de Bolsonaro.

Aliás, enquanto a mídia toda está distraindo a população no caso Bolsonaro, o governo está aproveitando para agilizar a distribuição do infame kit gay.

Posso não concordar com todas as idéias de Bolsonaro, mas se ele cometeu algum "crime", os defensores da pedofilia e kit gay cometeram o quê, então?

Acordem: há razões muito mais graves para se colocar na cadeia a OAB, por analfabetismo constitucional e por não entrar com ações contra defensores da pedofilia; Luiz Mott, Denílson Lopes, Isaías Medeiros e Paulo Ghiraldelli, por defesa à pedofilia; e Toni Reis, por promover o atentado imoral contra as crianças brasileiras mediante o kit gay. Faça-se justiça, e rápido!

Julio Severo, em 06/Abril/2011

Fonte: http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/o-caso-bolsonaro-e-a-injusta

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Apoiamos urgente PRISÃO PERPÉTUA para pedófilos!

MAGNO MALTA

Senador evangélico exige prisão perpétua a criminosos de pedofilia

Em pronunciamento em Plenário nesta terça-feira, 5, o senador Magno Malta (PR-ES) defendeu mudanças na Constituição e no Código Penal.

Entre as alterações sugeridas estão a possibilidade de prisão perpétua para condenados por crimes contra a liberdade sexual de crianças e adolescentes e a obrigatoriedade do teste do bafômetro.

A Constituição proíbe a aplicação de penas de caráter perpétuo e inclui tal disposição entre as chamadas cláusulas pétreas, que não podem ser abolidas por meio de emendas. Apenas uma Assembleia Nacional Constituinte poderia mudar a regra. No entanto, há quem entenda ser possível mudar as cláusulas pétreas por meio de plebiscito seguido de emenda, como sugere o senador. Magno Malta informou que levará a questão à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Outra alteração proposta pelo senador na legislação brasileira é a obrigatoriedade do teste do bafômetro. Atualmente, o motorista não é obrigado a realizar o teste porque a lei lhe garante o direito de não produzir prova contra si.

“As pessoas matam bêbadas no trânsito e infelizmente não são obrigadas nem a fazer o bafômetro. O outro é obrigado a conviver com um tubo na garganta, tetraplégico, em uma cadeira de rodas, usando fraldas, com a família tomando conta. Esse não tem direito a nada, atropelado por um bêbado. Mas o bêbado tem direitos: ele não faz nem o bafômetro”.

Para o senador, tanto o Código Penal quanto o Código de Processo Penal “estão a serviço do crime, e não da sociedade brasileira”.

Atletas e bebidas

Magno Malta quer também que vídeos gravados em sistema de monitoramento eletrônico sirvam como flagrante e que atletas de renome sejam impedidos de fazer propaganda de bebida alcoólica.

“Estou entrando com um projeto de lei que proíbe o atleta que chega à seleção brasileira de se tornar garoto-propaganda de bebida alcoólica. Nós não podemos permitir que alguém que se torna uma referência nacional e destrua a vida de uma criança, ajude em uma má formação” defendeu.

Fonte: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=13195

Aluno processa escola que o suspendeu por compartilhar sua fé

Um estudante americano resolveu processar sua ex-escola por ter sido suspenso das aulas por compartilhar sua fé. O caso aconteceu no ano passado quando Kenneth Dominguez, 16, foi disciplinado pela Gateway East High School, em San Diego e foi impedido de levar sua Bíblia para o campus.

De acordo com os advogados de Dominguez, o garoto era novo convertido, tinha entregado sua vida ao Senhor durante o feriado de Natal, em 2009 e quando voltou para a escola em janeiro, começou a falar sobre sua nova fé para seus amigos.

Um dia o diretor da escola chamou sua atenção dizendo que ele não tinha permissão para compartilhar sua fé por causa da “separação entre Igreja e Estado”.

Dominguez não tinha causado qualquer perturbação enquanto testemunhava sobre sua fé aos colegas. Ele não gritou ou sequer pregou em voz alta, e limitou seu discurso aos intervalos de almoço e corredores, nunca na sala de aula.

Nenhum aluno ou funcionário reclamou dele, de acordo com Brad Dacus, presidente e fundador do Pacific Justice Institute, que está representando o garoto.

Depois de ter sido advertido pelo diretor, Dominguez continuou a falar sobre sua fé e a levar sua Bíblia para a escola. Ele então foi avisado de que não poderia levar sua Bíblia para o campus também. Logo depois, ele recebeu uma suspensão de dois dias.

Em defesa do estudante, o advogado Michael J. Peffer, que dirige o escritório do PJI no sul da Califórnia, afirmou: “Nenhum aluno deve ser forçado a deixar sua fé e a Bíblia no portão quando entra no terreno da escola”.

Ao que parece casos como o de Dominguez é comum nas escolas públicas da Califórnia. Entre os mais de 4.000 pedidos de assistência jurídica recebidos só no ano passado, Dacus disse que muitos eram sobre questões de liberdade religiosa nas escolas públicas.

A escolar divulgou um comunicado hoje em resposta ao processo: “O Conselho Diretivo e administrativo do Grossmont Union High School District apoia e defende a Constituição dos Estados Unidos, em especial as disposições da Primeira Emenda que protegem o livre exercício da religião e da liberdade de expressão. É também o firme compromisso da Grossmont Union High School District (GUHSD) prover um ambiente seguro e ordenado para todos os estudantes e funcionários.”

Fonte: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=13198

Apesar da descarada defesa homossexual à pedofilia, a OAB, o MPF e outros órgãos do governo não estão atrás de Luiz Mott, Denílson Lopes, Isaías Medeiros e Paulo Ghiraldelli. Estão atrás de Bolsonaro.

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com/2011/04/apesar-da-descarada-defesa-homossexual.html